Exposição sobre Tarsila do Amaral feita pelos alunos de Itaquá

 

A boa prática dos professores do Sistema Municipal de Ensino de Itaquaquecetuba, além de promover a qualidade da educação municipal tem viabilizado condições para que os alunos desde as séries iniciais possam protagonizar a sua história e, portanto, tornarem-se cidadãos autônomos e críticos.  Nesse sentido, alunos do 4º e 5º anos da professora Eliane Maria de Carvalho (artes) da EM. Vereador João Marques, tem deixado a Unidade Escolar mais bonita e mais alegre, com a exposição final de suas produções artísticas desenvolvidas por meio do projeto “Tarsila do Amaral”.

O objetivo da ação foi conhecer as obras de Tarsila do Amaral, fazer releituras e criar obras inéditas, de autoria por intermédio de diferentes técnicas e materiais e por fim expor o resultado para a comunidade escolar. Conforme explica a professora, o projeto foi desenvolvido em etapas distintas aos discentes que abrangeu desde “a apresentação da vida e obra da artista, interpretação de suas produções, rodas de conversa sobre o estilo, técnicas empregadas, o contexto histórico o qual estava inserido seu trabalho, os sentimentos envolvidos, a reflexão sobre tais questões, até o fim de sua carreira, devido a sua morte,” disse a educadora.

Segundo a diretora da escola, Fabiana Tomaz Raymundo o projeto e as aulas desenvolvidas pela professora Eliane, é considerado um trabalho bastante significativo e de expressão na unidade escolar. “Possibilita aos alunos, professores e demais funcionários o acesso e a interação ao bem artístico e toda a comunidade escolar gostou muito de participar e ver os resultados, vivenciando todo o processo de criação e exposição”.

Já a secretária de Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação de Itaquaquecetuba, Verônica Cosmo Barbosa, compreende que as linguagens artísticas possuem relevância extrema na formação integral do aluno, na medida em que a dança, a música, o teatro e as artes plásticas são capazes de transformar o estudante por meio da ação lúdica, da fantasia, da peripécia, do sonho, estimulando o processo do desenvolvimento da sensibilidade e da criatividade desde os primeiros anos de vida da criança. “Além disso, há de se destacar que o PNAIC – Pacto Nacional de Alfabetização na Idade Certa – tem trazido em suas orientações a importância da arte na participação do processo de alfabetização dos alunos nas séries iniciais,” a secretária de Educação.

ARTICULISTAS

 

After you have typed in some text, hit ENTER to start searching...